Esqueci minha senha

SBBN participa de solenidade da assinatura da cooperação AMAZUL, CNEN e Reator Multipropósito Brasileiro

O secretário-executivo do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Elton Santa Fé Zacarias, garantiu que o ministério dará todo apoio à construção do Reator Multipropósito Brasileiro. A declaração foi feita na solenidade de assinatura de acordo de cooperação técnica entre a Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) e a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul) para o desenvolvimento do projeto detalhado do RMB, realizada em 16 de maio na sede da AMAZUL em São Paulo. A SBBN esteve representada na solenidade por sua Presidente, Prof. Silvia Velasques, a qual fez parte das autoridades citadas pelo cerimonial, juntamente com a presidente da Sociedade Brasileira de Física (SBF) e diretores da Associação Brasileira de Energia Nuclear (ABEN) e Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN).

“Estamos confiantes na capacidade técnica da Amazul e da Marinha do Brasil para desenvolver esse projeto”, afirmou Elton Santa Fé Zacarias. “O ministro Gilberto Kassab entendeu a luta de tirar do papel grandes projetos como o navio oceanográfico, o satélite geoestacionário e o superlaboratório Sirius. Faltava o RMB e por isso tenho muito orgulho de participar deste momento”, acrescentou. Disse, ainda, que o Ministério da Saúde deverá participar também do financiamento do projeto.

“O RMB é a tecnologia nuclear a serviço da vida”, sintetizou o professor José Augusto Perrotta, coordenador técnico do projeto na Cnen, durante a apresentação para autoridades civis e militares, acadêmicos e especialistas em energia nuclear.

“A demanda reprimida de radioisótopos tanto na rede pública quanto na particular é muito grande e será melhor suprida quando o RMB estiver operando em sua plena capacidade”, reforçou o presidente da Cnen, Paulo Roberto Pertusi. Ele lembrou que a pesquisa a partir do RMB contribuirá também para o Programa Nuclear da Marinha e o Programa de Desenvolvimento de Submarinos.

“O projeto traz soberania ao país na área da saúde”, observou Silvia Maria Velasques de Oliveira, presidente da Sociedade Brasileira de Biociências Nucleares. “O reator é importante para produzir material para diagnóstico e terapia, mas também precisamos pesquisar sintomas e doenças para as quais ainda não existem remédios. Não vamos precisar esperar pelo que é desenvolvido lá fora, poderemos produzir aqui os medicamentos de que a nossa população precisa”, acrescentou.

Fonte: Amazul.

Repercussões: 

https://www.marinha.mil.br/amazul/Ministerio-promete-todo-apoio-ao-projeto-do-reator-mnultiproposito-brasileiro

http://www.cnen.gov.br/component/content/article?id=333

Foto: Prof. Silvia Velasques (SBBN) em solenidade na sede da AMAZUL, SP (16-5-2017)